Compartilhe este post

Impeachment de Dilma ainda é uma grande incógnita

Estudos que aferem a probabilidade da saída antecipada da presidente Dilma Rousseff da Presidência via impeachment são bastante questionáveis frente ao movimento de negociação do governo com os partidos da base aliada (PP, PTN, PSD e PR) em troca de cargos nos primeiro e segundo escalões e da polarização em torno dos argumentos de a presidente ter cometido ou não crime de responsabilidade.

A saída do PMDB do governo motivou a negociação com partidos que podem ajudar a presidente a recolher votos suficientes para evitar seu afastamento via impeachment. Paralelamente, a lei do impeachment, de 1950, é ampla ao definir os crimes de responsabilidade que podem servir de motivo para o impedimento da presidente, assim como as argumentações para o impeachment abrem espaço ao debate sobre sua legitimidade. Tais fatores reduzem fortemente a probabilidade de assegurar que o processo será aprovado ou rejeitado.

Nesta semana, a consultoria Eurasia, usualmente utilizada como fonte de análise por bancos e gestoras do país, reduziu a probabilidade de impeachment de um intervalo entre 60% e 70% para o piso da projeção: entre 40% e 60%. O recuo da aposta da consultoria deve-se basicamente às indefinições políticas e jurídicas que permeiam o processo de impeachment.

A Eurasia, prevê 75% de probabilidade de saída precoce de Dilma (seja por impedimento ou por convocação de novas eleições), 40% de chance de o vice Michel Temer chegar ao fim do mandato, 35% de haver nova eleição e 25% de chance de Dilma terminar o mandato, em 2018. A REAG, por sua vez, limita-se a afirmar que o impedimento de Dilma na Presidência da República é ainda algo de difícil mensuração probabilística, se limitando a apostar, no máximo, em igual probabilidade de o impeachment ser ou não ser aprovado pelo Congresso, uma vez que há muita incerteza envolvida no processo. Por outro lado, a REAG ressalva que a defesa de novas eleições tem ganhado força nos últimos duas.

A REAG investimentos não se responsabiliza por quaisquer ações ou decisões baseadas nas informações contidas em suas publicações. Os dados e análises das suas publicações não devem ser tomados exclusivamente como regra para outras publicações, tomadas de decisão, avaliações e/ou julgamentos. Todas as consequências e responsabilidades pelo uso dos dados ou análises desta publicação são assumidas exclusivamente pelo usuário, eximindo a REAG de todas as ações decorrentes do uso deste material. O acesso a estas informações implica total aceitação deste temo de responsabilidade e uso. A reprodução total ou parcial desta publicação é expressamente proibida, exceto com autorização da REAG ou citação da fonte.

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

20 − catorze =