Compartilhe este post

Agenda Econômica Semanal – 5 a 11 de dezembro de 2016

Política e ajuste fiscal seguem no radar do mercado em semana de ata do Copom e IPCA

O mercado doméstico mantém as atenções na pauta política, após as manifestações ao longo do país, no domingo, contra a corrupção e em defesa da Operação Lava Jato. O mercado foca também nos desdobramentos da vitória do “não” no referendo italiano para a reforma constitucional. Entre os eventos da agenda desta semana, destacamos a ata do Copom (terça-feira), o IGP-DI (quarta-feira), o IPCA de novembro (sexta-feira) e a produção e vendas de veículos da Anfavea (terça-feira).

A ata do Copom, referente à reunião de novembro, deve manter a sinalização do Comunicado, onde o Banco Central sinalizou a possiblidade de acelerar o ritmo dos cortes corte da Selic de 0,25pp para 0,50pp a partir da próxima reunião, caso os riscos domésticos e externos se mantenham controlados. No que se refere à inflação, o IGP-DI deve desacelerar para 0,02% em novembro, resultado da influência baixista dos preços no atacado dos alimentos. Para o IPCA nossa expectativa é de ligeira desaceleração, passando de 0,26% para 0,25% em novembro, puxada pela deflação do grupo Alimentação: queda no preço de alimentos in natura, feijão e leite. A menor pressão também é reflexo da desaceleração do grupo de Transportes. Por outro lado, a alta do grupo Habitação, em função do acionamento da bandeira amarela em novembro limitará a baixa. Em linha, o IPC-S deve desacelerar na 1ª quadrissemana de dezembro, em função da queda da tarifa de energia elétrica residencial (bandeira verde), que terá o IPC-FIPE seguindo o mesmo movimento, também com desaceleração, influenciado pelo comportamento baixista dos preços dos alimentos. A primeira prévia do IGP-M deve mostrar aceleração em dezembro, dada a menor retração do IPA agropecuário e pela aceleração do IPA industrial.

No exterior, após os eleitores italianos rejeitaram a proposta de reforma constitucional, levando o primeiro-ministro Matteo Renzi a renunciar e fortalecendo a posição de populistas contrários à permanência do país na zona do euro, a maior expectativa é pela reunião de política monetária do Banco Central Europeu (quinta-feira), que será seguida de entrevista do presidente da instituição, Mário Draghi. Está no radar a discussão o prolongamento da política monetária acomodatícia, uma vez que a autoridade monetária europeia cobra juro zero por empréstimos e adota taxa de depósito negativa (-0,4%), além de manter seu programa de compra de ativos de 80 bilhões por mês até março de 2017. Destacamos também os resultados da balança comercial e inflação da China (quinta-feira); PIB do 3º trimestre da zona do euro e balança comercial dos EUA (terça-feira). Será divulgado também o relatório mensal de grãos do USDA (sexta-feira).

agenda-semanal-5-a-11-dezembro-2016

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

catorze + nove =