Compartilhe este post

Agenda Econômica Semanal – 31 de outubro a 6 de novembro de 2022 : Semana esvaziada pelo feriado de Finados, tem decisão de juros nos EUA e a ATA do Copom como destaques

Apesar da semana mais curta no Brasil, com um dia a menos de pregão, a Agenda Econômica desta semana traz eventos importantes. Na terça-feira pré-feriado, atenção à Ata do Copom, Balança Comercial e Produção Industrial no país. O mercado, contudo, estará com atenção redobrada para a decisão de juros nos Estados Unidos (quarta-feira).

Na terça-feira teremos a Ata do Copom na terça-feira, o principal evento da agenda local. No geral, assim como no comunicado pós Copom, não deve trazer tantas surpresas e deve continuar sinalizando para a estabilidade da Selic em 13,75%.

Também na terça-feira, o IBGE divulgará a produção industrial de setembro. Nossa estimativa é que ocorra queda de 0,2% (MoM). Dá suporte à avaliação, a deterioração de alguns indicadores coincidentes, como a da produção de veículos (-0,7%, Anfavea), o do nível de utilização da capacidade instalada (-0,7%, NUCI-FGV), o do fluxo de veículos pesados nas estradas (-0,6%, ABCR), o da expedição de papel ondulado (-0,4%, ABPO). Limitando o movimento negativo, destaque para a forte queda da incerteza (-4,2%, M/M), a normalização das cadeias produtivas, alguma necessidade de recomposição de estoques e o índice de condições financeiras atingindo o terreno positivo (0,1% em agosto e setembro).

Enquanto isso, nos EUA, as atenções estarão voltadas a reunião do FOMC e no discurso de Jerome Powell que ocorrerão na quarta-feira. Em um cenário que continua mostrando a demanda ainda forte por mão de obra, evidenciando o mercado de trabalho apertado e uma inflação ainda persistente, a expectativa é de uma postura agressiva do Fed nesta reunião. O consenso do mercado é para uma elevação de 75 pontos base no intervalo da taxa Fed Funds, que hoje está entre 3,0% e 3,25%. Após a reunião, os membros do FOMC, do Federal Reserve, participam de coletiva de imprensa e dessas falas podem sair indicativos para as próximas reuniões.

Na Europa, a agenda da semana tem como destaque a reunião o Banco da Inglaterra (quinta) que deverá acelerar o ritmo de subida das taxas de juros em 75 bps para 3%. Já os números do PIB da Zona do Euro (segunda) provavelmente mostrarão uma desaceleração acentuada do crescimento no terceiro trimestre, uma vez que o aumento dos custos de energia afetou demanda do consumidor e atividade industrial. Mesmo dia em que os dados da prévia da inflação da Zona do Euro devem apresentar alívio marginal de 10% para 9,8% em outubro.

A semana é pouco movimentada na China. Os PMIs industrial (abertura) e de serviços (terça-feira) referentes a outubro, divulgados pela Caixin, deverão manter-se em território contracionista em 48,5 e 49,2, respectivamente. Na semana, a expectativa para os PMIs industrial e de serviços chi-neses divulgados pela NBS e da produção industrial e vendas no varejo do Japão em setembro.

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

17 − 15 =