Compartilhe este post

Agenda Econômica Semanal – 25 a 31 de julho 2016

Agenda Econômica Semanal
25 a 31 de julho 2016

Mercado inicia semana em ritmo de espera pelos detalhes da ata do Copom

A Ata do Copom, a ser divulgada amanhã, será o principal evento da semana na agenda doméstica. Após o comunicado mais amplo e detalhado, o documento deve enfatizar que a existência de riscos que inviabilizam o corte de juros no momento. A ata deverá aprofundar a discussão apresentada no comunicado, onde foram mostradas preocupações com (i) a pressão dos alimentos na inflação, (ii) as incertezas sobre a aprovação e implementação do ajuste fiscal e (iii) o comportamento da inércia inflacionária. Além disso, ao longo da semana conheceremos os resultados dos dados de mercado de trabalho do Caged, na quarta-feira, e da Pnad Contínua, na sexta-feira, ambos referentes a junho, que deverão mostrar menor ritmo de piora no período. A taxa de desemprego de junho, medida pela PNAD, deve ter elevação de 11,2% para 11,3%, influenciada pela queda da atividade econômica.

Teremos também a divulgação da nota do setor externo, na terça-feira, que deverá apontar déficit em conta corrente de US$ 1,3 bilhão em junho, assim como investimentos diretos do País somando US$ 3,0 bilhões, reforçando o ajuste da conta corrente em curso. Os números da arrecadação devem ser divulgados ao longo da semana. Para junho, projetamos arrecadação de R$97,8 bi, o que representa uma alta de 0,7% na variação anual. Na quinta, o resultado do governo central de junho deve ser de -R$13,0 bi.

No quesito inflação, teremos na quinta-feira o resultado da leitura do IGP-M de julho, para o qual esperamos desaceleração de 1,69% para 0,25%, em virtude da queda de preços no atacado dos produtos agropecuários. O bom desenvolvimento do plantio nos EUA para soja e milho explica o movimento esperado. Em relação aos Produtos Industriais, esperamos recuo relevante para o minério de ferro. O INCC, um dos índices que compõe o IGP-M, deve desacelerar de 1,52% para 0,75% em julho, por conta da dissipação do reajuste salarial em SP e RJ. Por fim, ao longo da semana, serão divulgadas as sondagens da FGV para os diversos segmentos da economia, mantendo a tendência positiva de retomada da confiança observada nos últimos meses.

Há pouco, o Boletim Focus, do Banco Central, mostrou manutenção da projeção para a Selic no fim de 2016 em 13,25%, caindo em 2017 a 11%. Já a estimativa de alta do IPCA este ano caiu 0,05 ponto percentual e atingiu 7,21%, acima do teto da meta do governo, de 4,5% com tolerância de 2 pontos percentuais. Em relação a 2017 a mediana das projeções foi reduzida em 0,01 ponto percentual, a 5,29%, dentro da tolerância de 1,5 ponto para a meta de 4,5%. E a projeção de contração do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016 chegou a 3,27%, contra recuo de 3,25% no levantamento anterior. Para 2017 permanece a expectativa de expansão de 1,10%.

Na agenda dos EUA, como destaque da semana teremos a decisão de política monetária do Fed, dados do PIB do 2T16 e a confiança das famílias. Sobre a reunião do FOMC, apesar da recente melhora que vem sendo observada nos indicadores domésticos, a autoridade monetária deve aguardar antes de retomar o ciclo de aperto monetário iniciado em dezembro até que tenha clareza sobre os reais impactos do referendo que votou pela saída do Reino Unido da União Europeia. A primeira prévia do PIB do 2T16 deve mostrar que a economia no país está se recuperando. O destaque será a expansão do consumo, uma vez que a reanda e as vendas do varejo tem mostrando ganho robusto no segundo trimestre (de –0,3% para +0,6% t/t).

AGENDA SEMANAL 25 JULHO 2016 TABELA

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

dois × 4 =