Compartilhe este post

Agenda Econômica Semanal – 2 a 8 de janeiro de 2017

Resultado positivo da produção industrial de novembro será o destaque da primeira semana do ano
O resultado da atividade industrial de novembro (quinta-feira) será o destaque da agenda doméstica desta primeira semana do ano de 2017. Projetamos alta de 1,0% na margem, que deverá reverter, em grande medida, o desempenho negativo do mês anterior. Também estarão em evidência as divulgações dos dados do setor automotivo, que serão os primeiros indicadores de atividade referentes a dezembro. Na quarta-feira, serão conhecidas as informações sobre emplacamentos de veículos da Fenabrave, enquanto na quinta-feira, a Anfavea divulgará os resultados da produção e das vendas de veículos do período. Além disso, o IGP-DI de dezembro, a ser divulgado na sexta-feira, deverá mostrar aceleração em relação ao mês anterior, ao subir 0,64%, diante da maior pressão do IPA industrial.
No exterior, após a elevação da taxa de juros norte-americana, as atenções estarão voltadas à divulgação dos dados de mercado de trabalho dos EUA de dezembro, na sexta-feira, que deverá trazer sinais adicionais sobre o ritmo de crescimento da economia do país no final do quarto trimestre. Na quarta-feira, teremos a divulgação da prévia do índice de preços ao consumidor da Área do Euro do último mês do ano passado, que poderá apresentar nova aceleração. Por fim, a agenda ainda contemplará a divulgação das leituras finais dos índices PMI dos EUA, da Área do Euro e da China, também referentes a dezembro.
Boletim Focus: Mercado revisou para cima as projeções de inflação para o final de 2017 O mercado seguiu ajustando para baixo suas expectativas para a inflação para 2016, mas revisou para cima o índice esperado para 2017, de acordo com as estimativas coletadas até o dia 30 de dezembro e divulgadas hoje pelo Relatório Focus do Banco Central. As expectativas para o IPCA passaram de 6,40% para 6,38% para 2016 e de 4,85% para 4,87% para o final deste ano. Já a mediana das projeções para a taxa Selic caiu de 10,50% para 10,25% para o final de 2017. Não houve alteração da mediana das projeções do PIB para 2016 e para 2017, que permaneceram em -3,49% e 0,50%, respectivamente. Por fim, a mediana das expectativas para a taxa de câmbio foi ajustada de R$/US$ 3,50 para R$/US$ 3,48 para o final de 2017.
 
agenda-economica-2-jan-2017-tabela

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

dois × 1 =