Compartilhe este post

Agenda Econômica Semanal – 19 a 25 de setembro de 2022 : Na agenda local, destaque para a decisão do Copom na próxima quarta-feira

O principal destaque da semana na agenda doméstica será a reunião do Copom (terça e quarta), para a qual esperamos manutenção da taxa Selic em 13,75%. Acreditamos que o BC confirmará o fim do ciclo de aperto monetária, indicando que a taxa básica de juros se manterá em terreno significativamente contracionista até que se consolide o processo de desinflação e a convergência das expectativas para patamar compatível com o cumprimento de suas metas (que envolve o horizonte relevante de 2023 e 2024).

O BC deverá seguir enfatizando que os passos futuros da política monetária poderão ser ajustados para assegurar a convergência da inflação para suas metas, a depender da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação para o horizonte relevante de política monetária. Com a expectativa de manutenção da taxa Selic, os mercados devem monitorar o comunicado da decisão e o tom adotado para pensar os próximos passos do BC.

Nesta segunda-feira, a FGV divulgou os dados do Monitor do PIB referentes ao mês de julho, que apresentou crescimento de 0,6% na atividade econômica na comparação com junho, considerando-se dados com ajuste sazonal. Na comparação interanual a economia cresceu 3,1% em julho e 3,3% no trimestre móvel findo em julho. O desempenho da atividade no período foi positivo, com crescimento dos serviços e da produção industrial, apesar do recuo das vendas no varejo.

A segunda prévia do IGP-M, na terça-feira, deve continuar indicando deflação no índice geral de setembro, com influência do recuo do preço do minério de ferro e de combustíveis nesse período, mesmo com a menor influência benigna do recuo dos custos de energia elétrica, concentrados no mês anterior.

Ao longo da semana, é esperada a arrecadação federal, para a qual nossa estimativa é de R$ 168 bilhões e crescimento interanual de 5,6% em termos reais. As arrecadações de imposto de renda das empresas e da CSLL devem ser os destaques positivos, impulsionadas pela recuperação da atividade.

No exterior, as atenções também se voltam para as decisões de juros nas economias centrais. Também na quarta-feira, o comitê de política monetária do Fed se reúne e, além da própria decisão sobre a taxa de juros, a coletiva deve fornecer mais pistas sobre o futuro da política monetária americana O Banco da Inglaterra BoE e o Banco do Japão BoJ também se reúnem na próxima semana.

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

12 − nove =