Compartilhe este post

Agenda Econômica Semanal – 11 a 17 de julho de 2022 : No Brasil, destaque para os resultados de serviços e comércio de maio

Face aos números otimistas divulgados até então para o 2T22 (indicadores antecedentes e dados do mercado de trabalho), que tem sustentado uma visão mais positiva para a economia no curto prazo, o destaque da semana fica por conta dos dados de atividade que devem confirmar tal percepção. O IBGE divulga os números do setor de serviços (terça-feira) e das vendas no varejo (quarta-feira), ambos referentes ao mês de maio. Assim como na indústria (+0,3%), a expectativa é de que os setores mostrem resultados benignos no mês, impulsionados pelas medidas de transferências de recursos adotadas pelo governo, melhora do mercado de trabalho, continuidade do processo de normalização das atividades presenciais e avanço do crédito. A expectativa é de que as leituras de maio apresentem crescimento na margem, impulsionados pelo dia das mães, pelo mercado de trabalho e pela liberação de recursos do FGTS.

Para o setor de serviços, a estimativa é que ocorra alta de 0,7% (MoM), refletindo o maior fluxo de veículos pesados nas estradas (8,0%, %MoM, ABCR) e a melhora da confiança do setor de serviços (Índice geral: 2,2%, %MoM | 3,3%, %MoM MM3M; Índice da Situação Atual: 2,2%, %MoM | 4,2%, %MoM MM3M; Índice de expectativas: 2,0%, %MoM | 2,3%, %MoM MM3M). Além disso, a expectativa para o varejo ampliado também deve ajudar.

Já para o varejo restrito supõe-se crescimento de 0,8% (MoM). Dá suporte à avaliação, os estímulos à renda (Auxílio Brasil, FGTS e Antecipação da 1ª parcela dos aposentados e pensionistas) e os indicadores coincidentes, tais como as consultas ao SCPC (11,3%) e movimento do comércio (2,1%, Serasa). Limitando o movimento, destaque para os níveis recordes do preço da gasolina (R$7,2518 para R$7,2950, ANP – Agência Nacional do Petróleo). No conceito ampliado, que inclui veículos (13,8%, Serasa | 24,7%, Fenabrave) e material para construção (4,7%, Serasa), deve haver alta de 1,9% (MoM). O melhor número de emplacamentos de veículos em maio, desde o início da pandemia, também é um sinal de expansão para o varejo ampliado.

Além dos números de atividade do IBGE, com o fim da greve do BCB, a instituição deve voltar a divulgar o IBC-Br normalmente. A próxima divulgação está prevista para quinta-feira. Acreditamos que o dado de maio do IBC-Br deve ter avanço de 0,9% (MoM), impulsionado por serviços, varejo ampliado e a melhora da confiança. A indústria (0,7%) também deve contribuir positivamente.

Na agenda internacional, o foco é a inflação nos EUA. O quadro de inflação no país é fundamental para calibrar os próximos passos de política monetária, assim como os dados de mercado de trabalho. As atenções também estarão voltadas para os dados da China, na quinta Além da produção industrial, varejo e investimento em ativo fixo de junho, conheceremos o PIB chinês referente ao 2 º trimestre.

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

17 − cinco =